Um Mergulho nas Maldivas - Blog Sonho e Destino - Dicas, Roteiros e Destinos de Viagens

Assine nossa newsletter:

Quer receber nosso informativo e ficar por dentro das nossas viagens? Basta cadastrar o seu e-mail abaixo.

Um Mergulho nas Maldivas

Mergulhando no paraíso no meio do Oceano Índico.

As Maldivas são um paraíso no meio do Oceano Índico, composto de inúmeros atóis, onde em cada um deles se localiza um resort repleto de atividades interessantes, todo focado em oferecer a melhor experiência para os hóspedes. Sem dúvidas é um lugar perfeito para passar lua de mel ou outra data especial ao lado de quem ama. O que chama mais a atenção nas Maldivas é o mar, com usa transparência e cor azul sem igual. É muito difícil explicar o que sentimos quando chegamos lá, tendo o primeiro conato com aquele tipo de paisagem. Por ter um mar tão único e incrível, os esportes aquáticos e o mergulho são atividades indispensáveis nesse paraíso.

Logo no primeiro dia, nosso butler Shinan nos levou ao local onde podemos alugar todo tipo de equipamento de esportes aquáticos, desde um simples snorkel, que é gratuito no hotel onde estávamos, até um jet ski e um passeio de parasailing. A regra é simples: visitar as Maldivas exige uma boa dose de conexão com o mar! É preciso gostar dessas atividades para que a viagem seja mais proveitosa. Caso contrário, as férias acabam se resumindo a atividades bem relaxantes dentro da ilha, só com piscinas maravilhosas, spa, restaurantes magníficos e muita preguiça!! Ruim, não?

Assim que pegamos nossas mascaras de mergulho e snorkel, fomos conhecer uma dupla de biólogos marinhos que moram na ilha. Pois é, o hotel é tão preocupado com as questões marinhas que mantém um pequeno centro de pesquisa, com um tanque artificial onde eles estudam as espécies que habitam ao redor da ilha e dois pesquisadores que se dedicam inteiramente ao assunto, o Hassan e a Verena. Ele é maldívio e já trabalha nesse hotel há muitos anos. Ela é austríaca e já trabalhou em diversos hotéis espalhados pelas Maldivas. Apaixonados pelo o que fazem, logo começaram a nos explicar tudo sobre a vida marinha que existe ali em volta. O tanque é repleto de espécies diferentes, que nunca tínhamos visto antes, mas claro que não queríamos ficar só ali conversando. O interessante de estar nas Maldivas é partir pra água e ter essa experiência de verdade.

Conversando com os biólogos Verena e Hassan
Conversando com os biólogos Verena e Hassan

Já percebendo o nosso interesse e ansiedade em conhecer o mar, Verena, a pesquisadora austríaca nos convida para fazer um mergulho com ela. Mergulhar com quem já conhece muito bem a área é muito melhor, pois saberemos exatamente onde ir, além de vermos as espécies mais interessantes. Apesar de estarmos em uma ilha que forma o atol, pode ser um pouco perigoso mergulhar sem seguir as marcações que estão instaladas, pois se nos afastarmos muito da ilha, a correnteza pode ser forte, além de ser muito fundo e não da para ver muita coisa. O ideal mesmo é ficar sobre os corais, porém eles também oferecem um certo perigo, pois eles podem machucar se rasparmos neles com força, além claro de prejudicar a fauna marinha. É importante ter precaução e respeito, mas se tudo for feito corretamente, o mergulho se torna magnífico!

Mergulhando nas Maldivas
Mergulhando nas Maldivas

Iniciamos o passeio passando de cara pelos tubarões. Ainda bem que eles são muito bem alimentados e não oferecem perigo, além também de existirem espécies vegetarianas. A Verena nos guia pelos corais mais coloridos, repletos de peixes e outras espécies muito diferentes. Mergulhando por ali pudemos ver de perto os efeitos do aquecimento global. Antes de cairmos na água, a Verena nos explicou que quando os corais e as anêmonas estão brancas, significa que elas estão morrendo devido à alta temperatura da água na região. Então para nós pode parecer muito confortável mergulhar em um mar quentinho, mas para a vida marinha isso é preocupante.

Nosso mergulho continuou por mais de uma hora, e não dava vontade de sair da água. Paramos para fazer inúmeras fotos e vídeos de toda aquela diversidade marinha que parece uma pintura. Vimos peixes já muito conhecidos por serem personagens dos desenhos animados, cardumes de todos os tipos e tamanhos passando ao nosso redor e se exibindo de forma exuberante. Nós nunca tínhamos visto tantas espécies diferentes em um lugar só. Com certeza as Maldivas é um lugar altamente recomendado para quem curte mergulhar e ter um ótimo contato com a natureza. Por não termos a carteirinha de mergulho para realizar o scuba diving, ficamos só no rasinho mesmo, mas aconselho que for para lá tirar o certificado para poder aproveitar ainda mais essa beleza marinha. Segundo a Verena, mergulhar com cilindro deixa a experiência ainda mais incrível e você pode ficar horas aproveitando a paisagem!

Mergulhando nas Maldivas
Mergulhando nas Maldivas

Resolvemos encerrar o mergulho para aproveitarmos um pouco mais dos esportes aquáticos que o hotel oferece, mas sem antes a Verena nos convidar para mais uma atividade: alimentar as arraias no por do sol. Todos os dias no final da tarde as arraias chegam na praia para serem alimentadas pelos hóspedes do hotel. Claro que nós não tínhamos como recusar o convite, mas como ainda é cedo, da tempo de aproveitar mais um pouquinho do mar.

Alimentando as arraias
Alimentando as arraias

Voltamos ao local onde alugamos os equipamentos para experimentar um pouco do Seabob, uma espécie de mini jet ski que mergulha na água. É simplesmente incrível. Nós ficamos brincando com o Seabob por mais de uma hora. Esse equipamento é pago nesse hotel e tem limite de tempo, mas tem outras atividades bem interessantes que são gratuitas, e também muito conhecidas pelos brasileiros, que é o caso do stand up paddle. A Gisella manda muito bem no SUP então ela resolveu curtir um pouco o que já sabia. O Fernando inventou de tentar algo novo, o windsurf. A prancha de windsurf não é cobrada, mas é aconselhável pagar pelas aulas, caso contrário a prancha não te servirá para muita coisa, caso você nunca teve contato com o esporte antes. Dito e feito, o Fernando não conseguiu ficar em pé na prancha por muito tempo, pois ele quis pular as aulas. Resultado? Logo desistiu e foi acompanhar a Gisella no SUP. A experiência foi no mínimo muito engraçada!

Seabob
Seabob

Chega de exercício. Chegou a hora de encontrarmos a Verena novamente para alimentar as arraias. Ficamos surpresos em como elas chegam na areia da praia para o jantar bem no horário. Seis da tarde em ponto e lá estão elas prontas para o banquete todos os dias: um balde cheio de peixes. Nunca tínhamos tido contato direto com arraias antes e gostamos muito da experiência. O mais legal é que cada arraia que chega para comer já é conhecida da Verena e do Hassan e cada uma tem nome. Eles nos explicaram muito sobre as arraias e nos mostraram os perigos que o animal pode oferecer, como a cauda, por exemplo, que é o seu mecanismo de defesa e pode até matar uma pessoa. Mas em um ambiente controlado como esse, tudo sempre sai como planejado. No final do jantar delas, é hora de encerrar o dia com um coquetel ali mesmo na praia, momento perfeito para conhecer os outros hóspedes que estão na ilha.

Sonho e Destino
Publicado por
Sonho e Destino

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *